Menu Principal

Início
Agenda
Estudos
Grupos de Visitação
Nossos Pastores
Livro de Visitas
Galeria de Fotos
Videos
Pregações em Áudio
Procurar
Links
Contato
Dowloads

Informativos

Cadastre seu e-mail para receber os nossos informativos.







A Família e a Reconciliação PDF Imprimir E-mail

A Família e a Reconciliação

Texto Básico : Mateus 5:21-26

‘‘ Suportai-vos uns aos outros, perdoai-vos mutuamente, caso alguém tenha motivo de queixa contra outrem. Assim como o Senhor vos perdoou, assim também perdoai vós; ‘’ Col 3:13

Introdução

O ideal divino é que haja harmonia nos relacionamentos interpessoais. Porém, até mesmo no ambiente familiar há pessoas com relacionamentos rompidos. Como cristãos, cremos que Deus criou a família, para que seja refúgio de paz, alegria e equilíbrio em meio à angústia, desesperança e confusão tão comum em nossa sociedade.
Lamentavelmente os conflitos ocorrem entre esposo e esposa , pais e filhos, irmãos entre si, que, se não forem tratados a tempo, resultarão em mágoas, frustrações, enfim, fatores que podem destruir a família.

1. A Reconciliação é Mandamento Divino

Preservar a ira, manter inimizade, conservar o ódio, enfim, quebrar o relacionamento fraterno sem a disposição para praticar o perdão, a reconciliação, constituir-se em infrator do mandamento divino.

A . Toda família tem problemas

Não é novidade para ninguém que toda família tem problemas.
Jesus contou a história da família na parábola do filho pródigo a qual enfrentou problemas seríssimos. Estes problemas foram provocados pelo filho mais novo, que exigiu de seu pai a sua parte nos bens, Lc.15:11-32. Esta atitude irrefletida do moço, provocou profunda mágoa no coração de seu pai, e também grande amargura no coração do irmão mais velho. Com certeza, o seu lar tornou-se um ambiente sombrio, inseguro e infeliz.
Só uma coisa podia resolver o grave problema, o perdão. Com o perdão a paz volta aos corações tristes, com o perdão, a reconciliação é efetuada; as barreiras são lançadas por terra, Col. 3:13. Vejamos o caso de José no Egito. Gn. 50;15-21

B. A reconciliação ajusta os relacionamentos quebrados - O texto básico indica três formas de quebrar o sexto mandamento: ‘’Não matarás’’ . Primeiro : irar-se contra o irmão, que significa ficar com raiva de alguém; Segundo: proferir um insulto, que significa considerar o outro como um ‘’desmiolado’’ (cabeça vazia, cretino, estúpido); e Terceiro, chamar o irmão de louco, que é o mesmo que xingar o irmão de ‘’tolo’’, ‘’insensato’’ ou ‘’idiota’’. O senhor Jesus afirma que duras conseqüências são reservadas aos que insistem no erro, serão lançados no fogo eterno, v. 22. Deus recusa aceitar o culto, a oferta, quando a pessoa vive em desacordo com seu irmão. Ele aponta o caminho que deve ser tomado nestas situações: ‘’... vai e reconcilia-te primeiro com teu irmão’’. Mt. 5:3

2 . O Perdão Produz Restauração nos Relacionamentos

A . O perdão produz restauração

O perdão restaurou a família da parábola de Lc 15. A recepção festiva dada pelo pai ao filho mais moço indicava claramente que houve a prática do perdão. O ex-guardador de porcos foi restaurado à sua posição de filho.

B. O perdão dá possibilidade de um novo começo

Sempre que há o perdão maravilhas acontecem: Relacionamentos inter-pessoais rompidos são restaurados, consciências enfermas são curadas, ‘’onde há o perdão os muros cairão’’.
O perdão dá uma nova chance a quem errou. A restauração produzida pelo perdão se dá em vários níveis horizontal, no relacionamento da pessoa ofendida com a que ofendeu ( e vice-versa); em nível vertical, no relacionamento com Deus, e até em nível interior, da pessoa consigo mesma.

3. Reconciliação Familiar é um Desafio que Requer Urgência

Não se pode adiar uma reconciliação. Jesus recomenda interromper um ato de adoração, se há laços rompidos entre os adoradores, e recomenda urgente reconciliação. Mt. 5:24

A . Esclarecer ofensas passadas -

Para que haja reconciliação entre duas pessoas, é necessário esclarecer todas as ofensas passadas entre ambos. Não se pode esquecer o passado e seguir adiante.
Isso nunca dá certo. O problema deve ser tratado com transparência. I Pe. 2: 19-23; 3:9

B. Disposição para reconhecer os próprios erros

A tendência natural das pessoas é, devido o orgulho, não dar nem pedir perdão. Neste caso aplica-se o que disse o apóstolo Paulo: ‘’porque a carne milita contra o Espírito, e o Espírito contra a carne, porque são opostos entre si...’’ Gl. 5:17. Foi o caso do irmão mais velho da parábola, ficou tão indignado que não perdoou o seu irmão, Lc. 15:25-30. Já o filho mais moço reconheceu o seu próprio erro. Lc. 15:21

Conclusão

Devemos atentar para a recomendação bíblica. ‘’Não se ponha o sol sobre a vossa ira’’ Ef. 4:26. Quanto mais tempo se passar, mais difícil ficará a reconciliação. Como você se sentiria diante de Deus se a pessoa com quem mantém inimizade fosse levada? A reconciliação requer urgência.

 
< Anterior   Seguinte >